Manchester City: Yan Couto pode ser a nova esperança do Brasil para a lateral direita

yan 030119cPode parecer estranho, dado o seu compromisso com o ataque e o talento, mas a plataforma para a era de ouro do futebol brasileiro foi proporcionada por uma mudança defensiva. Na década de 1950, o Brasil abriu mão de um jogador extra na defesa e criou a moderna "linha de quatro".

Como resultado, mais cobertura no meio permitiu que os laterais do Brasil avançassem e aproveitassem o espaço à sua frente. Assim, o lateral ofensivo nasceu - uma parte vital do mix brasileiro desde que Nilton Santos marcou um gol inesperado no jogo de abertura da Copa de 1958. Enquanto o Brasil vencia a Copa do Mundo de 2002, os novos laterais ofensivos estavam sendo trazidos ao mundo.

Yan Couto, novo contratado do Manchester City, nasceu em 3 de junho de 2002, no momento em que Cafu carregava o flanco direito contra a Turquia e acabou capitaneando a equipe à glória da Copa do Mundo no Japão e na Coreia do Sul. E o jovem de 17 anos promete ser um herdeiro digno de uma tradição que, pelo menos na lateral direita, já passou por tempos de seca.

A equipe sub-20 do Brasil de 2001 viu o incrivelmente forte Maicon florescer como lateral direito ofensivo. Dois anos depois, a camisa número 2 pertencia ao sublime Daniel Alves. O lateral direito do sub-20 de 2005 foi Rafinha que, incrivelmente, jogou apenas alguns amistosos pela seleção brasileira e até flertou com a ideia de representar a Alemanha. Desde então, porém, as coisas foram decepcionantes - até Yan Couto emergir em estilo magnífico na recente Copa do Mundo sub-17.

O Brasil ganhou o troféu em casa, mas eles continuaram tendo que lutar muito por ela, chegando perto da derrota tanto na semifinal contra a França quanto na final contra o México. Mais do que qualquer outra pessoa, foi Yan Couto quem ajudou a seleção a sair do problema. Ele mostrou os quatro atributos completos do lateral ofensivo: velocidade, fôlego, técnica e tomada de decisão.

Durante todo o torneio, Yan Couto foi o "coringa" do time. Quando o Brasil estava atrás nos jogos, muitas vezes um lateral mais defensivo era trazido para liberar Yan. Ele foi vital nas partidas contra França e México.

Ficou claro que Yan Couto não iria perder muito tempo no futebol brasileiro e, após o interesse do Barcelona, ​​ele agora foi confirmado como jogador do Manchester City. O técnico Pep Guardiola entende algumas coisas sobre laterais ofensivos, tendo moldado Dani Alves, ​​embora o jovem tenha que esperar até junho para fazer a travessia pelo Atlântico.

Mais a espera pode ser necessária. Vai demorar um pouco até ele entrar na disputa pelo time profissional - afinal, ele só jogou dois jogos oficiais pelo Coritiba -, mas ele é um negócio lucrativo para o clube. O valor é de 6 milhões de euros (R$ 30 milhões), o que pode dobrar em complementos se ele corresponder às expectativas traçadas. Isso faz dele o jogador mais caro que o Coritiba já vendeu - substituindo curiosamente Rafinha, que foi vendido para o Schalke 04 por 5 milhões de euros em 2005.

Uma década e meia depois, Rafinha segue firme na equipe do Flamengo; Yan Couto tem o potencial de ter uma carreira tão bem-sucedida quanto. E, sem muita competição no horizonte, ele sonhará com uma longa passagem pela seleção nacional, além de fazer seu nome na Premier League.

fonte: espn.com.br