Celsinho se pronuncia sobre casos de racismo: "Não passará impune"

Meia do Londrina foi alvo de comentários preconceituosos de profissionais de imprensa durante partidas da série B

celsinho 300821O meia Celsinho, do Londrina, se pronunciou pela primeira vez sobre os casos de racismo que sofreu durante os jogos contra o Goiás e o Remo pela Série B do Campeonato Brasileiro. O jogador e o clube divulgaram um vídeo do atleta agradecendo as mensagens de apoio que recebeu nos últimos dias e prometendo que as medidas cabíveis estão sendo tomadas contra os autores das ofensas. 

 

No dia 17, durante o empate em 0 a 0 com o Goiás, um narrador e um repórter da rádio Bandeirantes de Goiânia usaram termos preconceituosos em referência ao cabelo do jogador, como "cabelo pesado", "bandeira de feijão" e "um negócio imundo". 

Já na vitória contra o Remo por 1 a 0, no dia 23, o narrador Cláudio Guimarães, da Rádio Clube do Pará, usou o termo "com o seu cabelo meio ninho de cupim". Todos os profissionais pediram desculpas e foram afastados das suas atividades pelas empresas. 

"Gostaria de falar para todas as pessoas que estiveram juntas neste momento difícil que isso não passará impune e que foram tomadas todas as medidas cabíveis. Tudo que eu e o Londrina pudermos fazer nós vamos fazer contra estas pessoas que são criminosas, no meu ponto de vista", afirmou o meia.

O jogador agradeceu também a todos os clubes que se manifestaram em razão dos comentários, mas não detalhou quais as medidas legais já foram tomadas. O LEC informou que nos dois casos foram registrados boletins de ocorrência. 

No jogo contra o Confiança, no dia 20, no estádio do Café, os jogadores do Londrina protestaram contra as ofensas racistas se ajoelhando no gramado e levantando o punho cerrado antes da partida começar. 

Veja o vídeo publicado pelo meia Celsinho

Fonte: Folha de Londrina