Lucas Crispim diz que rótulo de azarão fez o Santos crescer

Atacante diz que prognóstico de "quarta força" no começo do Paulista fez o grupo se fechar em busca da meta de "calar os críticos"

Poucas pessoas esperava ver o Santos brigando entre os primeiros colocados no início do Campeonato Paulista, mas foi justamente esse prognóstico pessimista que uniu o grupo. Pelo menos é essa a interpretação de Lucas Crispim. Segundo o atacante reserva, o rótulo de azarão foi fundamental para mexer com os brios do elenco, que conquistou a segunda melhor campanha da fase de classificação.

- No começo todos citavam os três grandes, não colocava o Santos como favorito. A gente sempre acreditou. A nossa meta era terminar como primeiro geral, não aconteceu, ficamos em segundo. Mas agora vamos com força total em busca do título – afirmou Crispim.

 

- A humildade do elenco se sobressai. A gente vendo o noticiário, não citavam o Santos. Isso acaba fazendo a gente se fortalecer mais, cria essa vontade de a gente calar os críticos. A gente sabe a força do nosso elenco, sabia que ia ser difícil, mas ao longo do campeonato mostramos a nossa força – completou.

Crispim também revelou que é um ouvinte dedicado da experiência de Elano e Robinho no futebol. O atacante diz que o grupo tem se inspirado na histórica campanha do Campeonato Brasileiro de 2002 para tentar surpreender os favoritos mais uma vez.

Poucas pessoas esperava ver o Santos brigando entre os primeiros colocados no início do Campeonato Paulista, mas foi justamente esse prognóstico pessimista que uniu o grupo. Pelo menos é essa a interpretação de Lucas Crispim. Segundo o atacante reserva, o rótulo de azarão foi fundamental para mexer com os brios do elenco, que conquistou a segunda melhor campanha da fase de classificação.

- No começo todos citavam os três grandes, não colocava o Santos como favorito. A gente sempre acreditou. A nossa meta era terminar como primeiro geral, não aconteceu, ficamos em segundo. Mas agora vamos com força total em busca do título – afirmou Crispim.

- A humildade do elenco se sobressai. A gente vendo o noticiário, não citavam o Santos. Isso acaba fazendo a gente se fortalecer mais, cria essa vontade de a gente calar os críticos. A gente sabe a força do nosso elenco, sabia que ia ser difícil, mas ao longo do campeonato mostramos a nossa força – completou.

Crispim também revelou que é um ouvinte dedicado da experiência de Elano e Robinho no futebol. O atacante diz que o grupo tem se inspirado na histórica campanha do Campeonato Brasileiro de 2002 para tentar surpreender os favoritos mais uma vez.

fonte: globoesporte.globo.com