Jonas, o homem que não deixou Philipe Sampaio dormir

O central do Boavista, que esteve à conversa com o zerozero esta quinta-feira, puxou pela memória recente para falar do futebol português e dos jogadores que mais o têm impressionado.

Pela sua posição, a atenção aos dianteiros é ainda maior e, bem fresca na memória, está a partida diante do Benfica, talvez a mais complicada para as águias desde que assumiram a liderança isolada, após Alvalade. Os encarnados já tinham estado na sua estreia oficial com a camisola do Boavista, na época passada (também 0x1) e é de águia ao peito que corre o maior destaque para Philipe Sampaio.

«A minha estreia foi com 19 anos contra o Benfica. Foi um grande jogo, contra muitos jogadores que eu só tinha visto na televisão e nos jogos de vídeo. Recentemente, voltámos a jogar contra eles e eu acho que o Jonas é o jogador do campeonato que, nestes dois anos, mais me tem surpreendido», reconheceu.

O jogo desta temporada contou com um Boavista muito personalizado, que obrigou o Benfica a sofrer e a jogar mal, com as oportunidades de golo a serem divididas durante a partida.

No fim, apareceu Jonas, que até tinha andado algo desaparecido do encontro, mas que foi frio e letal, a conservar a liderança do conjunto de Rui VItória.

«Na minha função de marcação, claramente o Jonas tem-me surpreendido, tal como o Slimani. Contra equipas como Benfica ou Sporting, tens que estar ligado todo o jogo, com concentração máxima. Ali, contra o Benfica, foi já mesmo no fim. O Jonas passou e marcou e a sensação foi horrível. Passei a noite sem dormir, foi difícil, pois tinha-lhe ganho muitos duelos ao longo de todo o jogo e ele quase não apareceu. Estivemos quase a travar o Benfica, com várias hipóteses de marcar, por isso custou», confessou o central.