Herói em 2009, Mariano fala em foco do Flu para garantir 'virada' na Sula

Em 2009, Fluminense tropeçou em casa e conseguiu a vaga contra a Universidad (CHI); Mariano participou da partida e dá dica para o Flu buscar resultado contra Nacional (URU)

mariano301018O Fluminense se colocou em uma situação complicada na Copa Sul-Americana. Após empatar por 1 a 1 com o Nacional (URU) no Estádio Nilton Santos, terá de buscar o resultado em Montevidéu. Missão difícil, mas não impossível. Em 2009, o Tricolor viveu situação parecida e conseguiu a vaga: após tropeçar em casa, bateu a Universidad (CHI) no Chile e avançou. Um dos personagens daquela reação, Mariano falou ao LANCE! sofre a partida e indicou os passos a serem seguidos pela equipe de Marcelo Oliveira na próxima quarta-feira.

 

- Foi um jogo difícil, queríamos vencer até porque era um momento bom que tínhamos para ganhar forças para fugir também do rebaixamento do Brasileirão. A conversa era sempre em torno do nosso foco para superarmos todas as adversidades daquela temporada. Tínhamos um grupo qualificado, sabíamos das nossas qualidades, e faríamos de tudo para vencer - declarou.

Atualmente no Galatasaray (TUR), o lateral-direito lembrou dos papeis dos líderes do elenco naquela Copa Sul-Americana. Em 2009, o atacante Fred e o técnico Cuca eram os que lideravam o elenco. Em 2018, cabe aos zagueiros Gum e Digão - os únicos remanescentes daquela partida no elenco atual - ficarem responsáveis por essa função. No caso de Mariano, deu certo.

- O capitão e líder era o Fred, ele o treinador com certeza nos ajudaram muito e sabiam do momento que vivíamos, então sempre nos motivavam. Chegou um momento em que a nossa confiança foi crescendo. No final, deu resultado, fomos vice-campeões e não caímos para a segunda divisão do Brasileirão. Foram momentos muito especiais.

Outra semelhanças juntam a partida de 2009 com a de 2018: a Universidad estava invicta em seu estádio naquele ano, enquanto o Nacional perdeu apenas um jogo no Parque Central. Já o Fluminense lutava contra o rebaixamento no passado, agora também divide suas atenções com o Brasileirão. Mariano comenta sobre essa divisão em duas competições.

- Era um jogo diferente, um jogo que nos dava força para a próxima partida. A gente tinha o Brasileiro e a própria Sul-Americana, então cada jogo para nós era uma final, tínhamos que nos fechar como grupo anda mais e manter o foco e a concentração sempre lá no alto.

O Fluminense entra em campo na próxima quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), no Estádio Parque Central para tentar a reação na competição continental contra o Nacional (URU). A equipe do técnico Marcelo Oliveira precisa vencer ou empatar por dois ou mais gols para avançar. Um novo 1 a 1, placar da primeira partida no Rio, leva a decisão da vaga para os pênaltis.

Fonte: Lance