Brasileiro deixou Cristiano Ronaldo no chão e foi zoado por amigos: 'Você tá forte, hein!'

Além de ter sido eleito melhor jogador do mundo na última temporada, Cristiano Ronaldo também é conhecido por sua força física. É muito difícil um adversário levar vantagem em alguma divida com o craque português, mas o brasileiro Mariano conseguiu essa proeza.

O lateral do Sevilla conseguiu a proeza na vitória por 2 a 1 que deu fim a invencibilidade de 40 jogos do Real Madrid (a maior de um clube espanhol na história) no Ramon Sanchez Pizjuan pela 18ª rodada do Campeonato Espanhol da atual temporada.

"Teve um lance um pouco engraçado. Eu disputei uma corrida em velocidade com o Cristiano Ronaldo e ele caiu. E os meus amigos ficaram brincando comigo depois do jogo: 'Você tá forte hein! O Cristiano trombou com você e caiu (risos)'", disse Mariano, ao ESPN.com.br.

"É um cara muito difícil de marcar mesmo. Agora ele está jogando mais de pivô e cai menos do meu lado. Dá um friozinho na barriga, mas é o tipo de jogo que gosto. Você precisa estar preparado. Gostava de jogar com eles no Fifa e agora tenho privilégio de enfrentá-los. Vou ter algumas histórias para contar para os filhos e netos".

O jogador, titular absoluto na equipe comandada por Sampaoli, foi um dos destaques do duelo e recebeu diversos elogios.

"Em jogos assim você precisa ter concentração máxima. Nossa equipe foi de uma grandeza incrível porque mesmo saindo atrás no marcador nós conseguimos a virada. Era um duelo de líder contra vice-líder e marcou bastante".

O Barcelona é outro adversário que costuma dificultar a vida do Sevilla.

"Os dois clubes são muito difíceis de enfrentar. Nunca é fácil de ganhar. Eles jogam finais de Champions League sempre. São jogos que ou você joga bem ou mal. Você precisa se concentrar ainda mais".

Mariano começou em uma escolinha antes de chegar ao Osasco para disputar a Copa Zico aos 15 anos. "Jogamos contra o Guarani e o treinador gostou de mim e fui fazer um teste. Foram duas semanas e passei".

Companheiro de Jonas e Willian nas categorias de base, ele permaneceu por cinco anos no Brinco de Ouro da Princesa até se profissionalizar. Depois, rodou por Ipatinga-MG, Atlético-MG, Cruzeiro e Fluminense.

"Foram três anos maravilhosos nas Laranjeiras. Em 2009, todos já nos davam como rebaixados no Campeonato Brasileiro. Conseguimos nos salvar e fomos até a final da Sul-Americana. No ano seguinte fomos campeões e em 2011 ficamos em terceiro".

No final daquele ano, o lateral saiu para o Bordeaux, da França. "Todo jogador brasileiro sonha com essa saída para Europa. Eu queria dar condições melhores para minha família e comprar a casa para minha mãe".

Após quatro temporadas sem conquistar títulos no clube francês, Mariano optou por sair para o Sevilla, em 2015.

"Estava há muito tempo conversando com meu empresário para sair. O Bordeaux é um grande clube, mas quando joguei lá só brigava para manter na primeira divisão. Eu tinha 25 anos e queria ganhar títulos. Eles abriram as portas na Europa para mim e só tenho que agradecer. Precisava ir para um time que tivesse mais ambição".

"Já cheguei ao Sevilla jogando a Supercopa da Europa contra o Barcelona e no final da temporada nós vencemos a Liga Europa. Joguei cinco finais de torneios em apenas um ano. Quando cheguei todo grupo me ajudou. O vestiário é muito parecido com o Brasil, música, todo mundo brincando e sorrindo".

"Eles colocavam o roupeiro do clube no corredor do hotel com chuteira, uma roupa engraçada e um ‘trem' na cabeça dele. Dai, colocavam um monte de obstáculos com cadeiras e fita isolante para ele passar até o outro lado. No final, tinha uma melancia para ele pegar. Achei muito engraçado".

"Isso é bacana porque descontrai o ambiente. Eles me falaram que todo final de campeonato faziam isso. Era uma tradição do pessoal mais antigo. Agora, como saíram alguns jogadores não teve isso da ultima vez na Supercopa".

Mesmo com a troca de treinadores, Unai Emery foi para o Paris-Saint Germain e o argentino Jorge Sampaoli chegou o Sevilla manteve a mesma mentalidade.

"Ele trata todos os jogadores de forma igual, quem joga ou quem está de fora. Ele respeita todos. Dentro de campo exige muito. Gosta de vencer e demonstrar isso para nós. Ele diz que sempre jogamos para cima como time grande independentemente do adversário".

"O Sampaoli se adaptou muito rápido ao Sevilla e aos jogadores novos. Sabemos da qualidade dele e do trabalho que fez no Chile. Nos ajudou muito desde que chegou. Está dando certo e estamos fazendo um bom trabalho juntos".

Apesar de já estar eliminado na Copa do Rei, o clube está vivo na Uefa Champions League - enfrenta o Leicester nas oitavas de final da competição - e ocupa a terceira posição no Campeonato Espanhol com 43 pontos.

"A gente esta em cima e brigando para nos manter entre os quatro par pegar vaga na Champions. Se os caras derem bobeira e nos derem chance vamos para cima. Estamos com uma campanha muito boa. Queremos no final da temporada ganhar títulos".

Aos 30 anos, Mariano espera ser lembrado em breve pelo técnico Tite para jogar pelo Brasil.

"Eu sei a dificuldade de chegar à seleção brasileira. A cada ano surgem grandes jogadores. Penso que o Sevilla estando bem e eu jogando, com certeza as coisas naturalmente acontecerão. É um sonho voltar à seleção e estou trabalhando muito para isso".